A intenção deste espaço é informar e estimular a discussão, através dos artigos postados, sobre assuntos atuais de Política, Justiça, Direito Penal e Processo Penal, tanto ao profissional do Direito quanto aos leitores leigos. Desejo-lhes uma ótima leitura.
Suaviter in modo, fortiter in re
(suave nos modos e firme nos propósitos)

terça-feira, 1 de abril de 2008

EPIDEMIA DE DENGUE

É notório a situação em que se encontra o estado do Rio de Janeiro.

“EPIDEMIA DE DENGUE”.

Em matéria publicada no jornal Folha de São Paulo, na secção “Cotidiano”, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez o mea-culpa, ao dizer ontem em Duque de Caxias (Baixada Fluminense) que o presidente também tem responsabilidades na questão da dengue. "Temos que cuidar dela antes de as pessoas serem picadas. Aí tem responsabilidade do presidente, do governador, do prefeito e de cada pessoa."

Me perdoem os “Lulistas”, mas uma das características inerentes aquele incumbido de mandato presidencial é ser solidário ao seu povo.

As palavras de Lula não condizem com suas ações.

No mesmo dia em que declarou o mea-culpa, o Sr. Presidente da República era só sorrisos com o governador do Rio, Sérgio Cabral durante a inauguração das obras de terraplanagem do Comperj (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro), em Itaboraí (cidade na região metropolitana do Rio).















Foto publicada no jornal Folha de São Paulo em 01 de abril de 2008: “Lula com Sérgio Cabral, governador do Rio, durante inauguração de obras de complexo petroquímico”

Faça como eu. Contemple esta foto e imagine...

- como se sentem os pais que perderam seus filhos para a dengue?

- e os pais que se dirigem aos postos de saúde com seus filhos no colo, e recebem a informação de que não pode internar seu filho, pois não há vagas?

Não é fácil. Com certeza não é fácil.

Há que se culpar o Presidente da República e o Governador do Estado do Rio de Janeiro por estarem felizes ???

Claro que não.

Poder-se-ia culpá-los por serem insensíveis, indiferentes, ou mesmo por fazerem pouco caso da dor das famílias e das pessoas que passam por essa EPIDEMIA.

Mas por estarem felizes não.

Com o alto índice de aprovação nas pesquisas, o Sr. Presidente da República poderia ao menos conter sua alegria em respeito a população do Estado do Rio de Janeiro, senão por respeito, que seja por que muitos são seus eleitores.

Perdoe-me meus leitores, mas estou indignado.

Estou errado?? Estou muito crítico??

Não sei.

Apenas me coloquei no lugar daquelas pessoas e senti a necessidade de me fazer ouvir.

Comente você também esta situação, este artigo, enfim, deixe sua opinião, pois não sou e nem desejo ser o dono da razão.

Postar um comentário