A intenção deste espaço é informar e estimular a discussão, através dos artigos postados, sobre assuntos atuais de Política, Justiça, Direito Penal e Processo Penal, tanto ao profissional do Direito quanto aos leitores leigos. Desejo-lhes uma ótima leitura.
Suaviter in modo, fortiter in re
(suave nos modos e firme nos propósitos)

domingo, 3 de abril de 2016

Desenvolvimento de Uma Consciência Política: - O Vereador -



Caros leitores, estamos vivendo um momento político que está entrando para história. Momento este que deverá ser um “divisor de águas”, onde ficará para trás aquela figura do eleitor que votava por votar, ou vendia ou trocava seu voto, e nascerá (já está nascendo) um eleitor mais consciente, mais atento ao candidato que escolherá e principalmente com a atuação política do candidato eleito na defesa dos interesses da sociedade como um todo.

Nesse sentido, pretendo através deste artigo dar uma singela contribuição a fim de esclarecer aos Senhores alguns fatos bem como despertá-los para a necessidade de se ter uma “consciência política”, pois quanto mais o eleitor ler e se informar sobre o assunto, maior será a sua consciência política.

Logo entraremos em tempo de campanhas eleitorais e como todos sabem, não faltarão “promessas”, que são um dos meios mais utilizados por candidatos – seja da esfera Federal, Estadual ou Municipal – na tentativa de convencer o maior número de eleitores.

Contudo, na busca incessante por apoio e por voto, alguns candidatos desinformados ou não conscientes das reais atribuições legais do cargo pleiteado, falam sem saber o que estão falando – sem propriedade e conhecimento – e acabam se perdendo em meio a promessas que nunca serão cumpridas, seja pela complexidade do assunto, seja pela própria limitação das atribuições legais daquele cargo almejado. 

Em que pese o atual governo federal ter usado de “falsas” promessas em seus discursos que antecederam as eleições presidenciais, o fato é que as falsas promessas – ou promessas absurdas – são mais evidentes nas eleições municipais, precisamente para a “cadeira” de vereador. 

Nessa lógica, é imprescindível que o eleitor conheça as atribuições e reais funções do cargo legislativo municipal, de modo que, dotado de algumas noções, possa facilmente verificar falsas promessas, mentiras e discursos apenas “eleitoreiros”. 

Tais noções também podem auxiliar aqueles que pretendem ocupar tais cargos, contudo, o bom senso recomenda que o pré-candidato se aprofunde no assunto, para que, em sendo eleito, tome posse do cargo com uma “bagagem” de conhecimento capaz de lhe proporcionar, por exemplo, a elaboração de projetos que atendam os anseios da população local. 

O Vereador é o representante da sociedade junto ao poder legislativo, devendo atender as demandas sociais e aos interesses da coletividade, propondo benfeitorias, obras e serviços para o bem-estar da vida da população em geral, através da elaboração de projetos de leis que, posteriormente, serão submetidos ao voto da assembleia – câmara municipal.

Dentre outras atribuições não menos importantes, o vereador também é responsável por acompanhar a administração do município, fiscalizando as ações tomadas e executadas pelo prefeito – poder executivo – com atenção especial ao cumprimento das disposições legais e com a gestão e a correta aplicação do dinheiro público.

Em meu ponto de vista, devem ser características essenciais ao candidato ao cargo de Vereador, o comprometimento com e para a sociedade, a moralidade, o caráter e a honestidade. E depois de eleito, acrescente-se como outra característica, o trabalho voltado para a população como um todo, e não para certos grupos de pessoas, religiões, associações etc 

Cargos públicos requerem engajamento e conscientização voltados para o bem comum, e não interesses próprios. Lamentavelmente, muitas pessoas se lançam à vida política para promoção pessoal ou por interesses no mínimo duvidosos, para não dizer ilícitos.

O atual momento político em que se encontra nosso País reflete um maior amadurecimento político da sociedade e consequentemente, o fortalecimento da democracia, contudo, o eleitor deve estar sempre atento, pois sempre existirão pessoas que buscarão na política alcançar uma melhor posição social, bem como uma possibilidade de ascensão econômica, distanciando-se, deste modo, dos verdadeiros propósitos da vida pública.

Claro que não devemos generalizar, pois sempre existirão também candidatos sérios e empenhados com projetos e soluções voltadas para a população.

Por isso a necessidade de o eleitor desenvolver uma consciência política cada vez mais esclarecida, de forma a reconhecer as falsas promessas e aqueles candidatos que pensam em si próprios, descartando, dessa maneira o voto nestas pessoas e confirmando o apoio e voto aos que desejam uma melhor cidade para todos.

Por essa razão caro leitor, desenvolva sua consciência política e nas próximas eleições valorize seu voto. Vote consciente.

Postar um comentário